domingo, 10 de junho de 2012

Emagrecer é estética ou necessidade ?

Sempre nos deparamos que alguém magro que diz que precisa emagrecer, rsss achamos uma piada.
Mas tbm vimos pessoas que realmente precisa emagrecer e outras não, mas até qdo é preciso esperar para tomar uma decisão, temos uma dificuldade enorme de querermos mudar nossa alimentação, ou pensamento destrutivo tipo: ah não vai adiantar mesmo, ou que na semana que vem começo, tem aquelas que fazem até promessa, tomam medicamentos por desespero, na verdade sabemos que devemos comer futas, legumes beber bastante água e fazer exercícios.... e pq não fazemos?
Você não quer, não precisa, acha que está bem deste jeito, ou ainda não apresentou doença para que corra.
Pois é, foi o que aconteceu com a Marcelle, veja sua história e veja se ainda da tempo para fazer algo,
Obs: digo o emagrecer saudável, somos gordinhas mas precisamos estar saudável ok?!

"Marcelle, qual é o melhor rodízio de pizza para ir hoje à noite?" Antes de saírem para comer, meus amigos sempre me ligavam. Mas não era para me convidar, não! Eles queriam consultar a extensa lista de restaurantes e deliveries que eu guardava com carinho no celular. Eu era uma espécie de guia de gastronomia da turma. Minha agenda só tinha telefones e endereços de lugares onde eu pudesse me empanturrar de massas, carnes ou sushis a qualquer hora do dia ou da noite. E esse descontrole se refletia na fatura do meu cartão de crédito, repleta de gastos com almoços e jantares, que chegavam a R$ 600 por mês. Para piorar, os pacientes da minha clínica de fisioterapia me davam bolos, pastéis, coxinhas... Resultado: aos 25 anos, eu já pesava 115 kg! E não parava de comer. Até que um dia, ao voltar de um rodízio de pizza, minha pressão subiu e o coração disparou. Passei muito mal. Entendi isso como um grito por socorro da minha saúde. E decidi atendê-lo.


Marcelle Leite mede 1,72 m e foi dos 115 kg para os 65 kg
Foto: Ronald Luv / Arquivo pessoal
A obesidade não era novidade para mim. Com 15 anos, eu já pesava 80 kg. Meus pais diziam: "Marcelle, você está gorda". Mas eu não ligava. Comer era um vício que me confortava. E essa compulsão por comida só foi aumentando ao longo dos anos. No auge do sobrepeso, colocava três travesseiros debaixo da cabeça para dormir sem me sentir sufocada. Na clínica, se o paciente exigisse muito contato físico, eu acabava a consulta exausta, com dor nos pés e joelhos.


Em abril de 2011, entrei num rodízio e comi oito pedaços de pizza. Cheguei em casa passando mal. Vomitei, minha pressão subiu, o coração acelerou e senti o lado esquerdo do meu corpo adormecer. Fui atendida às pressas com uma crise hipertensiva. Naquele dia, tudo mudou. Decidi que queria ser uma mulher diferente: saudável, magra e bonita. No dia seguinte, acordei e fui direto para o consultório da nutricionista.

A médica me passou um cardápio de reeducação alimentar. Cortei massas, frituras, doces e refrigerantes. Vegetais, cereais e frutas chegaram para ficar. Levava os lanches da manhã e da tarde para o trabalho. Percebi que podia manter a dieta mesmo comendo fora. Era só mudar minhas escolhas. Por ter vergonha de ir à academia, comecei a caminhar uma hora todo dia.



Na primeira semana - sucesso! - perdi 4 kg. Quando sentia vontade de comer doce, fazia gelatina. Outro grande parceiro da minha dieta foi o suco de melancia, que eu tomava todos os dias no almoço. A fruta me dava saciedade e me desinchava. Dois meses depois, com 95 kg, entrei na academia. Sempre fazendo esteira, sequei mais 25 kg. Chamei a atenção de todo mundo. As pessoas me perguntavam o que eu estava fazendo para perder peso.

Minha postura mudou. E a fatura do cartão de crédito também! Meus gastos passaram a ser com roupas novas, maquiagem e sapatos. Finalmente abandonei a sapatilha e subi no salto! No dia 7 de abril deste ano, após um ano de dieta e pesando 65 kg, postei uma foto de antes e depois no Facebook para coroar minha conquista. Choveram comentários e elogios. Conquistei muitos fãs e virei inspiração para muita gente!

Estou curtindo cada minutinho dessa vitória. Na clínica, virei referência de saúde. Me sinto pronta para viver uma juventude que não tive dos 15 aos 25 anos. Meu sonho é voltar ao Carnaval de Salvador e me esbaldar, linda, magra e cheia de energia!




Melancia é diurética, antioxidante, dá saciedade e tem poucas calorias

A melancia pode contribuir, e muito, para o processo de emagrecimento. Mas a nutricionista Raquel Pimentel ressalta: "Para que qualquer alimento tenha efeito funcional, é preciso consumi-lo com regularidade". Confira a seguir as propriedades da fruta:
 
Tem pouquíssimas calorias: Cada 100 g de melancia contém cerca de 25 calorias. "Além disso, seu sabor adocicado é capaz de reduzir a vontade de consumir doces", diz a nutricionista Vanderlí Marchiori.

É diurética: Por ser rica em potássio, a melancia tem efeito diurético, ou seja, estimula a produção de urina. Segundo a nutricionista Raquel Pimentel, "isso previne o cálculo renal, ajuda a desinchar e é bom para combater excessos alimentares, pois as toxinas são eliminadas na urina".

É antioxidante: A fruta é rica em licopeno, substância antioxidante que reduz a pressão alta e previne doenças cardiovasculares. "Estudos recentes entendem a obesidade como uma doença inflamatória. Nesse caso, a melancia é perfeita para combater o sobrepeso, pois o licopeno, além de antioxidante, evita inflamações", afirma Raquel Pimentel.

Dá saciedade: "A grande quantidade de líquido da melancia dilui o suco gástrico, retardando a digestão", diz Raquel Pimentel. Por isso, a fruta pode ser indigesta se consumida durante as refeições, como a Marcelle fez. Se for o seu caso, dê preferência à ingestão do suco antes das refeições ou nos intervalos entre elas. "Tomar o suco de melancia logo antes do almoço irá diminuir o seu apetite", recomenda Pimentel.

É hidratante: A polpa da fruta contém entre 93% a 95% de água.
Fonte: mdemulher

Nenhum comentário:

Postar um comentário